Quarta, 27 de setembro de 2017, 14h11   A | A | A
Metas

Sicredi e moradores selam acordo na tentativa de se instalar um ponto de atendimento financeiro em Livramento.

“A conversação se deu nesta terça-feira (26) em reunião na Câmara de Vereadores do município, entre comerciantes, sindicalistas, pastor de igreja, chefe de autarquia e o Poder Publico municipal.”.

Assessoria

Reunião Sicredi

Ficou decidido que para implantar uma instituição bancária no município papa-banana de quase 300 anos de existência e de pouco mais de 12 mil habitantes serão necessários que pelo menos 300 contas sejam abertas e que haja depósito de capital inicial no valor de R$ 200 mil.


A conversação se deu nesta terça-feira (26) em reunião na Câmara de Vereadores do município, entre comerciantes, sindicalistas, pastor de igreja, chefe de autarquia e o Poder Publico municipal, representado pelo prefeito municipal, Silmar de Souza Gonçalves (PSDB), secretário municipal de Finanças, Otarci Nunes, coordenador do Instituto de Previdência dos Servidores Municipais de Livramento, Emanuel Arcanjo, e dos vereadores: Erli Oliveira de Queluz (PHS), Paulo Roberto (PSB), Manoel Gonçalo (PSDB) e presidente da Casa, vereador Airton Arruda (PSB). O presidente do Sindicato dos Produtores Rurais do município, Benedito Almeida também participou do encontro.

 

Parte dos comerciantes do lugar destacou na reunião não aguentar mais ver tanta evasão de recursos do lugar sendo direcionado para os grandes centros, como Cuiabá e Várzea Grande. “É inadmissível isso. Os funcionários públicos, estaduais e municipais, aposentados e demais moradores vão para Cuiabá e Várzea Grande receber, e por lá já gastam os seus salários sobrando a nós apenas os fiados nas antigas cadernetinhas”, desabafou José Carlos do Mercado JL.

 

“Já são 13 anos sem uma intuição bancária no lugar, assim ninguém aguenta”, ressaltou Odirley Mendonça, proprietário do Ester Armarinhos. Nesse mesmo tom completou o o comerciante Jacinto José (Canário): “O comerciante em Livramento se sobrevive de teimosia.”

 

De acordo com o diretor executivo do Sicredi, João Coelho Pinheiro, a vontade de ter um posto de atendimento financeiro na cidade tem que partir do interesse dos próprios moradores, “e nós garantimos as ações burocráticas institucionais do negócio.” Segundo Coelho, esse é o modelo de gestão implantado pelo Sicredi para se começar um negócio no lugar. “Não adianta ter uma salão bonito para festa sem ter as pessoas para dançarem e desfrutarem do ambiente, que nesse caso são os cooperados.”

 

Observando o que havia sido tratado na reunião da semana passada (19), na secretaria municipal de Assistência Social do município, os presentes criaram uma comissão contendo seis membros representantes dos comerciantes, igreja, sindicato e do Poder Púbico: Empaer, Prefeitura e Câmara dos Vereadores.

 

A eles foram propostos metas, dentre elas, para que consigam mobilizar a comunidade para se cadastrar como futuros associados da Cooperativa Sicredi, que a partir da próxima segunda-feira (02.10), vai estar com um representante legal alojado na sede do Sindicato dos Produtores Rurais de Livramento, para dar total suporte naquilo que poderá se tornar uma instituição financeira do lugar.

Leia mais sobre este assunto:

Previsão do Tempo